Ligue-se a nós

Distrito Federal

Adutora volta a romper no DF e moradores reclamam de falta de água

Publicado

no

Os registros de baixa pressão da água foram registrados no Guará e na Candangolândia. De acordo com o presidente da Caesb, serviços serão normalizados neste domingo

Uma adutora voltou a se romper, na noite desta sexta-feira (26/4), e reduziu a pressão da água para algumas regiões administrativas do Distrito Federal. O caso foi alvo de reclamações de internautas, principalmente de moradores do Guará 1 e 2.

A adutora é a mesma que rompeu em 18 de abril, mas em um outro trecho da tubulação. O rompimento ocorreu devido a movimentação de terra no terreno da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap). De acordo com o presidente Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb), Luís Antônio Reis, equipes da empresa estão no local para reparar a adutora e afirmou que a situação estará normalizada na manhã de domingo (28/4).

“Nós recebemos 58 solicitações de moradores do Guará e oito da Candangolândia, via Ouvidoria. A adutora rompeu dentro do terreno da Novacap. Nós trocamos o trecho e, daqui a pouco, iremos abrir para uma limpeza. Acredito que ocorreu (o rompimento) por máquinas que passaram ali. Por conta das chuvas, provavelmente sofreu uma pressão maior”, explicou o presidente, à reportagem.

Reis disse que não faltou água na região do Guará e Candangolândia, e reafirmou que o dia foi para reparar os danos da adutora rompida. “O que fizemos foi fechar os registros de um lado e, em seguida, fizemos a manobra na rede para ajustes. Mesmo com a pressão baixa, fizemos com que a água chegasse a essas regiões. Não houve falta de água”, completou.


 Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.

Fato Novo com informações e imagem: Correio Braziliense

Anúncio

Continuar Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Distrito Federal

Procurando emprego? Agências do trabalhador têm vagas com salários de até R$ 4 mil

Publicado

no

Por

Semana começa com 616 posições para pessoas com e sem experiência, e de diferentes níveis de escolaridade

As agências do trabalhador do Distrito Federal oferecem, nesta segunda-feira (22), 616 vagas para pessoas com e sem experiência, e de diferentes níveis de escolaridade. Os salários variam de R$ 1.412 a R$ 4 mil.

O posto com maior salário é o de operador de motoniveladora, em Brazlândia. Há apenas uma vaga disponível, para pessoas com ensino fundamental completo e experiência prévia. O segundo maior salário disponível é para a vaga única de pintor de obras, no Guará, que paga R$ 3.200. É necessário ter ensino médio completo e experiência na área.

Anúncio
Continuar Lendo

CLDF

Lei de Wellington Luiz “Mulher, Não se Cale” é publicada no Distrito Federal

Publicado

no

Por

Nesta quinta-feira (18), o governador Ibaneis Rocha sancionou a Lei n° 7.538/2024, de autoria do deputado Wellington Luiz (MDB), que cria a ferramenta “Mulher, Não se Cale”

O dispositivo institucional é um canal de denúncia disponível nos sítios eletrônicos e aplicativos da administração direta, autárquica e fundacional do Distrito Federal. A iniciativa visa proporcionar acesso direto e simplificado aos canais de denúncia de crimes cometidos contra mulheres.

De acordo com a nova legislação, publicada hoje (19) no diário oficial, a ferramenta “Mulher, Não se Cale” deve estar localizada na página inicial dos sites e aplicativos do governo do Distrito Federal, de forma a garantir fácil acesso e visibilidade, incentivando a denúncia de violência contra a mulher. O deputado Wellington Luiz, autor da lei, afirmou que a medida é um passo importante na luta contra a violência de gênero: “Precisamos criar mecanismos que facilitem a denúncia e protejam as vítimas. Esta ferramenta é um avanço significativo para dar voz às mulheres e garantir que suas denúncias sejam ouvidas e apuradas”.

A ferramenta proporcionará acesso direto aos seguintes canais de denúncia:

– Disque 190: Polícia Militar em situações de emergência;
– Maria da Penha Online: Polícia Civil do Distrito Federal;
– Ligue 180: Central de Atendimento à Mulher.

Além disso, a lei prevê que os órgãos e entidades públicas do DF devem promover campanhas de divulgação sobre a existência e a utilização da ferramenta “Mulher, Não se Cale”, visando ampliar o acesso a esse recurso e aumentar o conhecimento da população sobre sua disponibilidade.

Anúncio

Wellington Luiz destacou a importância da colaboração entre as instituições públicas e a sociedade civil na luta contra a violência de gênero: “A criação desta ferramenta é apenas o começo. É fundamental que todos os órgãos envolvidos promovam campanhas educativas para que as mulheres conheçam seus direitos e saibam onde buscar ajuda. Somente assim conseguiremos reduzir os índices de violência e proteger nossas cidadãs”.

A Lei N° 7.538 entra em vigor a partir da data de sua publicação, representando um marco na política de proteção às mulheres no Distrito Federal.


Fato Novo com informações da assessoria de imprensa do deputado Wellington Luiz

Anúncio
Continuar Lendo

CLDF

“Conheça seu Par”: nova lei facilita consulta sobre crimes de violência doméstica

Publicado

no

Por

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, sancionou, na última quarta (18), a Lei 7.536/24, que torna obrigatória a divulgação de sites e sistemas para consulta de antecedentes criminais de terceiros

A iniciativa da deputada Doutora Jane (MDB), conhecida como “Conheça seu Par”, possibilita que mulheres verifiquem registros de violência doméstica antes de iniciar um relacionamento. A norma entra em vigor em 60 dias.

De acordo com o texto, as informações disponibilizadas ficarão restritas a crimes e contravenções no contexto de violência doméstica e familiar, grave ameaça ou em casos mencionados na Lei Maria da Penha. A norma estabelece, ainda, a realização de eventos e campanhas para conscientização de abusos contra a mulher, formas de denúncia e incentivo à consulta do histórico de condutas agressivas de possíveis parceiros.

Doutora Jane enfatiza que o objetivo da Lei é proporcionar mais segurança às mulheres, permitindo a criação de relações baseadas na confiança. “Não se trata de invadir a privacidade do homem, mas garantir o direito à vida da mulher. Esse direito tem um peso fundamental para nossa segurança”, frisa a parlamentar.


Fato Novo com informações da assessoria de comunicação da deputada Doutora Jane (MDB)

Anúncio

Continuar Lendo

Mais vistas