Ligue-se a nós

Futebol

Primeira intervenção do VAR no Campeonato Brasileiro dura mais de 6 minutos

Publicado

no

Primeira intervenção do VAR no Campeonato Brasileiro dura mais de seis minutos

Lance do VAR aconteceu na partida entre Criciúma e Juventude após marcação de pênalti

O Campeonato Brasileiro de 2024 teve início neste sábado (13) e já na primeira rodada o VAR precisou entrar em ação. Na partida entre Criciúma e Juventude, no Heriberto Hülse, o árbitro de vídeo foi acionado após pênalti marcado em Éder, atacante da equipe catarinense, para analisar um possível impedimento no lance.

Contudo, foram mais de seis minutos para a tomada da decisão, que confirmou o impedimento de Renato Kayzer, que participou da jogada. A penalidade, marcada aos 22 minutos e 10 segundos, foi anulada somente aos 28 minutos e 15 segundos.

Na jogada, o zagueiro Zé Marcos, do Juventude, havia sido advertido com o cartão amarelo pelo árbitro. Porém, a penalização foi retirada após a marcação do impedimento, já que toda a jogada após o lance se torna inválida.

O Criciúma está de volta à Série A após 10 anos desde sua última aparição, em 2014. O time catarinense contam com nomes conhecidos do futebol brasileiro em seu elenco, como o meio-campista Marquinhos Gabriel e os atacantes Éder, Renato Kayzer e Arthur Caíke.

Anúncio

Além disso, contrataram o congolês Yannick Bolasie, que acumula passagens por equipes da Premier League.


Fato Novo com informações: Itatiaia e CNN Esportes

Continuar Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Futebol

Homem é condenado na Espanha por ataques racistas a Vini Jr e Rüdiger

Publicado

no

Por

Condenação a oito meses de prisão é a segunda na Justiça do país

O Real Madrid divulgou nesta quarta-feira (17) que um homem foi condenado pela Justiça da Espanha a oito meses de prisão por racismo, após ter proferido insultos na internet contra o atacante brasileiro Vinicius Júnior e o zagueiro alemão Antonio Rüdiger. De acordo com o clube, a sentença do Tribunal de Instrução número 5 de Parla, afirma que o acusado – cuja identidade não foi revelada – adotou vários pseudônimos para fazer os ataques racistas e insultos contra Vini e Rüdiger no fórum da edição digital do jornal Marca. Esta é a segunda condenação por racismo na Espanha.

“O acusado foi considerado culpado, especificamente, de dois crimes contra a integridade moral cometidos contra Vinicius Junior e Antonio Rüdiger, ambos agravados por terem agido com motivações racistas e, no caso de Antonio Rüdiger, também desprezando sua religião”, diz um trecho da nota oficial publicada pelo Real Madrid.

Soccer Football - Euro 2024 - Round of 16 - Germany v Denmark - Dortmund BVB Stadion, Dortmund, Germany - June 29, 2024 Germany's Antonio Rudiger reacts before Germany are awarded a penalty kick following a VAR review REUTERS/Thilo Schmuelgen

Zagueiro alemão Antonio Rüdiger foi alvo de ataques racistas na internet, junto com o brasileiro Vini Jr., protagonizado pelo homem condenado a oito meses de prisão por racismo – Reuters/Thilo Schmuelgen/Proibida reprodução

Além da prisão, o Tribunal proibiu o condenado de participar do fórum do jornal por 20 meses. De acordo com a sentença, “a suspensão da pena de prisão ficou sujeita à participação do acusado em um programa de igualdade de tratamento e não discriminação”.

A primeira condenação por racismo na Espanha ocorreu no mês passado, referente ao ataque racista contra Vini Jr no estádio Mestalla em maio de 2023, quando o brasileiro foi xingado de “macaco” durante o confronto entre Real e Valência. A Justiça condenou três torcedores do Valência a oito meses de prisão, a pagamento de multas e também os proibiu de frequentar estádio de futebol por dois anos.

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.


Fato Novo com informações e imagens: Agência Brasil

Anúncio
Continuar Lendo

Futebol

Coutinho é apresentado no Vasco e comemora volta: “Sempre imaginei”

Publicado

no

Por

Meia-atacante poderá restrear já na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, na próxima quarta (17/7), contra o Atlético-GO

Vasco apresentou, nesta quinta-feira (11/7), a mais importante contratação para a temporada: Philippe Coutinho. O meia-atacante retorna ao Cruz-maltino após 14 anos.

Durante coletiva, o jogador de 32 anos revelou que mandava imagens da torcida para a esposa e não via a hora de estar jogando pelo Vasco.


“Eu sempre me imaginei jogando no Vasco. Nas redes sociais, ínumeras vezes eu mandava vídeo para minha esposa da torcida do Vasco. Vivia mandando para ela ‘olha só que linda a torcida. Espero um dia estar lá jogando’ e mais ou menos cinco ou seis meses atrás a gente conversou como família e eu coloquei esse desejo de voltar para o Vasco. Obviamente, a partir daí, as conversas com presidente fluíram.”


Anúncio

Confira outras respostas do jogador:

Agradecimento para Pedrinho

“O Vasco fez de tudo para que eu pudesse estar aqui. O Presidente fez de tudo. Eu agradeço muito por isso. Muitas coisas envolvem esse retorno e o amor ao clube é o principal”.

Gratidão

“Vivi toda a minha infância e adolescência no Vasco. Sempre deixei claro toda a gratidão que tenho pelo Clube. Agora volto com 32 anos. Espero participar de muitas coisas boas, que eu acredito que irão acontecer”.

Relação com a torcida

“Tenho uma relação de carinho e respeito pela torcida do Vasco. É uma torcida muito apaixonada e diferente de tudo nos lugares por qual passei. Representa muita coisa para mim”.


Fato Novo com informações: Metrópoles

Continuar Lendo

Futebol

Vinícius Júnior e Copa América 2024 decretam o fim da “Era Neymar” na seleção brasileira

Publicado

no

Por

Quando começou a “Era Neymar” na seleção brasileira? A resposta pode ser a sua estreia, em um time repaginado de 2010 que iniciava o ciclo visando a Copa do Mundo de 2014, ou em meados de 2011, quando passou a carregar o número 10 às suas costas. Quando acabou? A ascensão de Vinícius Júnior ao protagonismo no futebol europeu às vésperas da Copa América de 2024 é a opção mais óbvia.

O contexto que levou Neymar a ser o “dono do time” na seleção brasileira carrega consigo vários fatores. A sua habilidade como um dos maiores jogadores de sua geração explica a maior parte de seus feitos, mas também havia um vácuo de protagonismo que não foi preenchido por quem esperávamos que fossem os grandes craques da camisa amarelinha entre 2010 e 2014. Por razões diferentes, Ronaldinho Gaúcho, Adriano e Kaká já não eram mais os mesmos e a responsabilidade acabou caindo nos pés de Neymar.

Dentro de campo, ele mostrou estar à altura do papel que lhe cabia. Os números individuais de Neymar pelo Brasil são expressivos. Estamos falando de um dos maiores artilheiros da história da seleção – segundo a conta descontextualizada da FIFA, o maior. Mas o conjunto da obra dentro daquilo que importa, os feitos da equipe, deixa a desejar. O Ouro Olímpico de 2016, longe do âmbito do time principal, é o seu principal feito — maior até do que a Copa das Confederações de 2013, torneio que deixou até de ser disputado.

Longe dos gramados, em outros holofotes

E seguirá sendo assim, ao menos até a Copa do Mundo de 2026. Sofrendo com mais uma de suas várias lesões, Neymar não entra em campo desde meados de outubro do ano passado. Longe também da elite do futebol mundial, ao ter deixado o PSG para vestir a camisa do Al Hilal na Arábia Saudita, o craque brasileiro continua a tônica de, propositalmente ou não, figurar muito mais nas editorias de fofocas do que nas páginas esportivas.

Anúncio

Fato Novo com informações: Goal.com

Continuar Lendo

Mais vistas