Ligue-se a nós

Opinião

Ultradireita: perigosa, inútil e deselegante

Publicado

no

Por Ricardo Viveiros

A história é útil à evolução da sociedade. Assimilar técnicas atende ao capitalismo, por isso é valorizada. Entretanto, a emancipação humana requer mais do que acúmulo de riqueza. Boa saúde, educação, cultura, ética, respeito são bens que superam muitas coisas. Qualquer pensamento político que não privilegie as pessoas e a vida delas está no caminho errado. Tem sido assim com regimes autoritários, como nazismo; fascismo; franquismo (nazifascista); salazarismo e outros.

Comum aos governos opressores está a sustentação política de partidos da direita. Observa-se, além das ditaduras do Oriente Médio – de fundamentação religiosa –, na Europa, na África, nos Estados Unidos e, também, na América do Sul, que a direita tem cooptado a população. A desigualdade crescente impulsiona uma revolta que aproxima o povo, com ênfase nos menos politizados, de promessas populistas. Persiste um vácuo deixado pela esquerda mundial que não consegue se comunicar como a direita, que se vale de fake news. No Brasil, em 2018 e nos quatro anos seguintes, assim como na Ópera dos três vinténs, de Bertold Brecht e Kurt Weill, a democracia esteve frágil pela miséria e pela corrupção. Desalentados agarraram-se a bizarros discursos eivados de ódio e mentiras, e elegeram um radical prepotente que (des)governou o País.

A triste receita da aceitação tem sido próspera aos políticos de direita. Um exemplo é Donald Trump, que aumenta sua popularidade na mesma proporção de seu ódio aos estrangeiros e de suas condenações nos tribunais. Se as eleições fossem hoje, seria eleito e aumentaria a cultura etnocentrista. A invasão ao Capitólio, em 6/1/2021, foi a mais esdrúxula manifestação de tentativa de golpe na denominada maior democracia do planeta. Um incentivo para que, no Brasil, em 8/1/2023, houvesse a reedição tropical de tentativa de Golpe de Estado. As duas ações marcadas pela dissonância cognitiva dos envolvidos e pela força das instituições que contiveram, investigaram e puniram os vândalos. E hoje combatem injustificadas tentativas de anistia.

Depois da desonra mundial que o nazismo trouxe à Alemanha, a Europa transitou entre a hegemonia dos grupos de centro e flertes com a esquerda. A atual aproximação da ultradireita é fato. Os resultados nas eleições europeias consolidam a liderança do centro. Mas a ultradireita terá destaque em países que, historicamente, ditam a política do continente como França e Alemanha. Brasileiros que moram no exterior atenção: a xenofobia é ameaça crescente aos imigrantes, sobretudo a pretos, pardos e indígenas. Até no berço do Iluminismo, o respeito se tornou artigo de luxo.

Anúncio

Como disse o filósofo Noberto Bobbio, o domínio da violência é a principal característica da existência dos estados e, por consequência, o mais efetivo poder. A direita utiliza esse poder sem limite. Perigoso. Intolerantes que administram as nações têm uma fórmula de governo que sempre deixa a fúria como opção viável. A guerra não é avanço, falta de humanidade é atraso civilizatório. A ignorância e a má-fé da ultradireita no trato com pautas sociais são apenas uma das faces da política reacionária. A preservação do planeta, a tolerância com as pessoas, o combate aos preconceitos e a visão emancipatória do humano inexistem.

A ultradireita, além de perigosa e inútil, é deselegante.


*Ricardo Viveiros, jornalista, professor e escritor, é doutor em Educação, Arte e História da Cultura; autor, entre outros, de A vila que descobriu o BrasilJustiça seja feita e Memórias de um tempo obscuro.

 

Anúncio
Continuar Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Um ano e meio de reconstrução: confira 13 avanços que mostram como país mudou para melhor

Publicado

no

Por

Em apenas 18 meses, governo Lula obtém resultados como o resgate de 24 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar, a menor taxa de desemprego em 10 anos e a volta ao Brasil ao ranking das 10 maiores economias do mundo. Saiba mais

“[Passamos] um ano e seis meses recuperando a desgraça que os negacionistas fizeram nesse país”, afirmou o presidente Lula em Salvador, nesta segunda-feira (1º). Mas seu governo não só recuperou como uniu forças para a reconstrução de um país devastado por Bolsonaro. Em apenas 18 meses, Lula colocou o país em patamares inimagináveis para tão curto espaço de tempo.

Além de elevar da 12ª para a 8ª maior economia do mundo, o governo Lula obteve inúmeros êxitos como o resgate de 24 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar, o menor desemprego em 10 anos, a retomada vigorosa dos programas sociais e a atração de volumosos investimentos com a incrível recuperação da credibilidade do país. Para isso, Lula viajou pelos quatro cantos do mundo nos primeiros meses de 2023 e foi recebido com todas as honras, ao contrário dos presidentes pós-golpe de 2016.

Nesses 18 meses, os brasileiros e o mundo testemunharam a volta do espetáculo do crescimento com distribuição de renda que, aos poucos, vai novamente afastando o Brasil do vergonhoso Mapa da Fome – onde foi parar em 2022, e recolocando-o como modelo de desenvolvimento econômico com justiça social.

O volume e magnitude das conquistas, em tão pouco tempo, se explica com muito trabalho, respeito e dedicação ao povo brasileiro. Trata-se de um governo que honra seus compromissos, com programas e ações para garantir alimento, trabalho e renda e reduzir as desigualdades sociais. Assim, o país caminha para uma sociedade de classe média, grande sonho de Lula.

Anúncio

“Muita coisa já voltou para o rumo certo (…). O Brasil da justiça social e do pleno crescimento voltou e é só o começo”, comemorou o ministro-chefe da Secretaria Extraordinária de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta em seu perfil na rede X.

Confira abaixo 13 dos muitos avanços em um ano e meio de governo Lula que mostram como a vida dos brasileiros melhorou após a devastação social de Bolsonaro:

1 – Valorização do salário mínimo acima da inflação

Classificado por Lula como “intocável”, a política de valorização do salário mínimo tem reflexos positivos não só na vida de trabalhadores e aposentados como também em todas as categorias. Os últimos indicadores provaram que mais de 87% das negociações salariais tiveram reajuste acima da inflação e outras 10% no mesmo patamar.

2 – Inflação sob controle

Inflação baixa, para mim, não é um desejo, é uma obsessão”, disse Lula em entrevista a uma rádio baiana dia 01 de julho, após criticar o Banco Central (BC) e a taxa Selic “exagerada” de 10,50%. A inflação está controlada, segundo o presidente, que aprovou a manutenção da média de 3%. Para 2024, a previsão de é uma inflação na casa dos 4%, dentro, portanto, do teto da meta de 4,5% estabelecida pelo BC.

3 – Aumento recorde da renda média

A renda média dos trabalhadores foi de R$ 3.181,00, avanço de 5,6% registrado em maio de 2024 em relação a 2023. no trimestre encerrado em maio. Outro recorde foi a massa de rendimentos dos trabalhadores brasileiros. Em maio foi registrado um total de R$ 317,9 bilhões, aumento de 2,2% em relação ao trimestre anterior e 9% diante a igual trimestre de 2023. Os dados são da PNAD Contínua do IBGE.

4 – Menor taxa de desemprego em 10 anos

Depois dos índices vergonhosos de mais de 14% de desemprego do governo anterior, em um ano e meio de governo Lula o Brasil registrou 7,1% de desempregados, menor índice desde 2014, e caminha para indicadores recordes alcançados no governo Dilma, abaixo de 4%.

Anúncio
5 – Recorde de empregados

Brasil atingiu 101,3 milhões de pessoas ocupadas, recorde da série histórica iniciada em 2012, assim como o total de 38,3 milhões de trabalhadores com carteira assinada.

6 – Resgate de 24 milhões de brasileiros de quadro de insegurança alimentar

O incremento dos programas sociais, entre eles o de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA), o aumento real do salário mínimo, da massa salarial e do número de pessoas empregadas resultam em maior distribuição de renda e redução das desigualdades sociais. Tudo isso se traduz na saída de 24 milhões de brasileiros da condição de insegurança alimentar. Além disso, indicadores revelaram altos índices de confiança do consumidor brasileiro em junho, com maior otimismo entre as famílias de baixa renda.

7 – Recorde de famílias beneficiárias no Bolsa Família

O presidente Lula se orgulha de ser o que mais cuida do povo pobre. Prova disso é o Novo Bolsa Família que, após as tentativas de desestruturação do governo anterior, voltou a ser pilar fundamental da rede de proteção social do governo federal. Com a inserção de mais 200 mil famílias, o programa teve alcance recorde em junho de 2024 de 21 milhões de famílias, com orçamento de R$ 14,23 bilhões e valor médio de R$ 683,75 por família a partir do aumento de 12%.

8 – Recorde de profissionais no Mais Médicos

Em 2023 o programa chegou a mais de 25.400 profissionais, um aumento de 105% em relação a 2022. A meta para 2024 é de 28 mil médicos ativos. 86 milhões de pessoas são beneficiadas pelo programa e 744 novos municípios passaram a ser atendidos.

9 – Indústria e empreendedorismo em alta e recorde de novos negócios

Apesar da alta taxa de juros fixada pelo Banco Central do bolsonarista Roberto Campos, os esforços do governo Lula têm resultados positivos como a venda até junho de um milhão de carros, um importante indicador do poder de compra das famílias. Além disso, foram abertos 1,43 milhões de pequenos negócios.

Anúncio
10 – Isenção do IR para quem ganha até R$ 2.824

O governo garantiu a isenção do Imposto de Renda para quem recebe até dois salários mínimos por mês (R$ 2.824) a partir de 2025, beneficiando 15 milhões de brasileiros. Até o final do mandato, Lula garantiu que até 2026 isentará do imposto aqueles que ganham até R$ 5 mil por mês.

11 – Volta ao ranking das 10 maiores economias do mundo

O Brasil foi a sétima maior economia do mundo entre 2010 e 2014, durante os governos do PT. Depois do golpe de 2016 foi perdendo posições até despencar para a 11ª em 2022. Com menos de dois anos de mandato, Lula recolocou o Brasil na 8ª posição no ranking das maiores economias do mundo, do Fundo Monetário Internacional (FMI). O crescimento de 0,8% do PIB no primeiro trimestre de 2024 resultou em alta acumulada de 2,5% nos quatro trimestres encerrados em março, o que levou o Brasil a subir de posição, ultrapassando a Itália.

12 – Recorde de exportações e atração de investimentos

Com a volta de Lula, o Brasil voltou a ser a “bola da vez” no mercado internacional e bateu todos os recordes. Em um ano e meio de mandato, foram 150 mercados abertos para produtos da agropecuária brasileira. Além disso, praticamente todas as montadoras anunciaram investimentos no país, num total de R$ 130 bilhões, o que demonstra o alto nível de confiança no ambiente de estabilidade e credibilidade proporcionados pelo governo federal. De janeiro a abril de 2024 as exportações totalizaram US$ 108 bilhões, 5,7% acima do mesmo período de 2023 (US$ 103 bilhões).

13 – Escola em tempo integral e reajuste da merenda escolar

Uma das maiores crueldades dos governos Temer e Bolsonaro, o congelamento do valor da merenda escolar foi prontamente revisado por Lula logo no início de 2023, com aumento de 39% no valor repassado pelo governo federal, que foi de 36 para 50 centavos por dia para cada aluno matriculado no ensino básico da rede pública, além de indígenas e quilombolas, crianças na pré-escola e em creches e estudantes em escolas de tempo integral.

Aliás, essa também foi uma das primeiras ações do presidente Lula em 2023. O programa visa o aumento das vagas em tempo integral, ofertando jornada igual ou superior a sete horas diárias ou 35 horas semanais, com investimentos que devem chegar a R$ 4 bilhões até o final de 2024, e a R$ 12 bilhões até 2026, com a previsão de 3,2 milhões de novas vagas. Segundo o MEC, 100% dos estados e de 84,3% dos municípios brasileiros já aderiram.

Anúncio

Fato Novo com informações: Redação/PT

Continuar Lendo

Comportamento

A vítima de assédio nas festas populares

Publicado

no

Por

Por Uemerson Florêncio

Todo predador da dignidade humana, ou seja, assediador, quer impor o seu sadismo, suas fantasias sobre aquela pessoa que ele julga ser vulnerável ou tem afinidade com o seu perfil. Ele se aproveita das mais diversas observações a partir da análise da linguagem corporal das suas vítimas associada ao comportamento, ele realmente mapeia suas vulnerabilidades no sentido de garantir o sucesso em seu propósito.

Quantas vezes você foi assediada numa festa? Você consegue lembrar das micro expressões faciais de quem lhe abordava? O que esta pessoa lhe transmitia? Você hoje sabe se defender de novas investidas?

O assédio é um conjunto de ações combinadas com diversas outras táticas mal intencionadas que visam alcançar com mestria sua vítima. Porque diversas ações combinadas? Simples assim, os assediadores observam a sua forma de manifestação da sua personalidade, a partir da forma de falar, sorrir, gesticular, olhar, argumentar e auto defesa. Quantos assediadores atuam em grupo fazendo apostas por uma lata cerveja quanto ao secesso de simplesmente arrancar um beijo ou conseguir dançar com esta ou aquela mulher?

Assim como a água passa pelas fendas que ela encontra no seu percurso, faz o mesmo, os assediadores, eles transitam pelas aberturas inconscientes que a vítima expressa. Quantas vezes você se sentiu invadida em função das atitudes de alguém? Você consegue descrever os sentimentos que surgem no momento em que você se enxerga nesta situação? Como você avalia a atitude desta pessoa perante você?

Anúncio

Quantas matérias lemos, ouvimos ou assistimos relando eventos infelizes em festas de rua para além do assédio. Não é não. Repito, não é não! É muito importante se atentar para as dicas de seguranças nestas festas juninas. Vamos para algumas delas:

– Não se distancie do seu grupo, evite vias desertas;

– Não caminhe entre os veículos, evite carona de estranhos;

– Não consuma alimentos e bebidas das mãos de desconhecidos;

– Não importa a sua idade e o quanto você esteja bela, o seu nome não é: “ei”, “psiu”, “nega”, “princesa” ou “gatinha”;

Anúncio

– Se você não tem o costume de beber certos tipos de bebidas, evite;

– Da mesma forma se aplica a certos tipos de comidas, se você passar mal, se houver uma reação alérgicas e os postos locais não tiver o apoio necessário, como espera lidar com os demais desdobramentos naquela noite?

– Ainda sobre o mal estar, com quem você irá contar?

– Se houver alguém, esta pessoa é da sua confiança ou um estranho?

– Quantas pessoas podem se passar por amigos para se aproveitar da sua situação? Já pensou nestes aspectos? Uma simples festa que pode trazer profundas memórias traumáticas para o resto da sua vida, caso volte com vida.

Anúncio

– Cuidado com as suas postagens e revelações nas suas redes sociais, as vezes o seu perseguidor ou assediadores só estão aguardando para saber qual será o seu destino naquela noite. Nos dias atuais, vigie o que escreve e posta!


Uemerson Florêncio –(Brasileiro)Empreendedor. Treinador, palestrante e correspondente internacional de opinião para 5 países de língua portuguesa na África (São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Moçambique, Guiné Bissau e Angola), 7 países de língua espanhola (Argentina, Paraguai, Colômbia, Chile, Uruguai, Peru e Espanha) e Estados Unidos, onde expõe sobre a análise da linguagem corporal, gestão da imagem, reputação e crises. Criador do método pentágono da comunicação. Gestor de conteúdo do site da empresa Conceito Treinamentos no Brasil.

 

Anúncio
Continuar Lendo

Economia

Indústria têxtil nacional celebra “taxação das blusinhas” importadas

Publicado

no

Por

As entidades que representam o comércio e a indústria no país acompanharam ontem, em peso, no Senado, a aprovação da alíquota de 20% de imposto de importação para produtos de até 50 dólares comprados em plataformas internacionais. A isenção a esses itens tinha sido concedida em agosto do ano passado pelo Ministério da Fazenda. A iniciativa de cobrar tributo sobre essa importação ficou conhecida como “taxação das blusinhas”, tendo em vista que as compras mais afetadas seriam as feitas na Shopee, AliExpress e Shein.

Por serem grandes marketplaces, muitas pessoas acabam buscando essas opções para comprar roupas, – ou ‘blusinhas’ – pagando um preço mais barato. Por isso, o segmento da indústria têxtil brasileira foi um dos que mais esbravejou contra a isenção.

“Manter isso seria uma grave ameaça à economia brasileira. Causaria danos pela concorrência desleal provocada pela desigualdade tributária, que já eliminou dezenas de milhares de empregos apenas na indústria e no varejo têxteis e de confecção, a imensa maioria em micro, pequenas e médias empresas”, argumentaram os sindicatos da indústria do vestuário do país e a associação brasileira do varejo têxtil.

CNC defende produção brasileira 

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em nome do varejo nacional, apoiou a manutenção do texto que tratou do fim da isenção do imposto de importação para produtos de até US$ 50. Estudos da Confederação indicam que a não taxação ocasionava uma queda de até 57% no volume de vendas do varejo, considerando efeitos diretos, indiretos e induzidos.

“A CNC reitera a importância da aplicação da alíquota de 20% como forma de minimizar os danos à economia brasileira e proteger os empregos e a renda gerada pelo setor de comércio. A medida garante a justa competitividade entre produtos nacionais e importados, promovendo um ambiente mais equilibrado para o desenvolvimento do varejo brasileiro.”


Por Samanta Sallum 

Anúncio

Continuar Lendo

Mais vistas