Ligue-se a nós

Distrito Federal

Você sabe o que é idadismo? Violência contra os idosos é tema de debate no DF

Publicado

no

Governo do Distrito Federal trabalha contra a violência estrutural sofrida pelos idosos. São serviços sociais, educacionais, terapias, capacitações, palestras, grupos de discussão e centros de convivência para fortalecimento de vínculos

Desacreditar, discriminar, ofender e até praticar crimes contra idosos são ações que permeiam a sociedade e demandam enfrentamento diário do Poder Público. No Distrito Federal, espaços como os Centros de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Cecons) fazem parte desse combate ao chamado idadismo, termo cunhado para explicar a violência praticada contra a pessoa idosa quando ela é analisada e avaliada por um critério só: “quantos anos você tem?”.

A palavra idadismo foi o tema central de uma conversa na última quinta-feira (13), no Cecon da Estrutural, que atende mais de 60 idosos. O encontro foi conduzido pela professora doutora Leides Moura, do Grupo de Trabalho de Envelhecimento Saudável e Participativo da UnB (UnB/GTESP) e integrou o calendário de conscientização do Dia Mundial de Conscientização sobre a Violência contra a Pessoa Idosa, celebrado neste sábado (15). Para a docente, essa prática permeia todos os outros tipos de violências contra a pessoa com mais de 60 anos. No DF, por exemplo, há cerca de 300 mil pessoas idosas, o que corresponde a 11,84% da população.

Os Centros de Convivência e Fortalecimento de Vínculos ajudam no combate ao preconceito que idosos sofrem por conta da idade | Fotos: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

Leides Moura defende a velhice como uma fase da vida cheia de belezas e o idadismo como violência estrutural que faz a própria vítima passar a se autoagredir psicologicamente. “A pessoa idosa que sofre essa violência começa a acreditar e se sabotar. Uma senhora sofreu um golpe pelo celular e a família resolveu retirar o aparelho dela. Ou seja, duas violências: o roubo e a retirada do celular pelos parentes”, exemplificou.

Social

Os Cecons atendem cerca de 900 idosos em todo o DF. “Nossos 16 Cecons têm sido espaços fundamentais para proporcionar momentos de lazer, socialização e enriquecimento cultural aos nossos idosos. Eles participam de atividades físicas, oficinas, palestras e eventos que promovem bem-estar e qualidade de vida”, explica a secretária de Desenvolvimento Social, Ana Paula Marra. Confira os endereços de todos os Cecons que prestam atendimento no DF.

Para Leides Moura, a velhice é uma fase da vida cheia de belezas

A secretária também informa que pessoas com 60 anos ou mais podem ir direto nas recepções dos Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou nos Centros de Referência Especializada para População em Situação de Rua (Centros Pop) para obter a Carteira Interestadual do Idoso. O documento promove o direito à gratuidade, ou o desconto de 50%, no sistema de transporte coletivo interestadual, conforme estabelece a lei.

O encontro foi uma proposta das educadoras sociais Vanessa Andrade e Deusilene Duarte. “Estamos fazendo um percurso na área de assistência social para falar sobre envelhecimento saudável. Aqui no centro trabalhamos com atividades socioeducativas, levando informações de qualidade para os idosos. Trabalhamos também com artesanato de forma bem lúdica. Temos uma parceria com o IFB [Instituto Federal de Brasília] para a alfabetização. Oferecemos capoterapia, que é uma mistura de capoeira com música e dança”, explicou Vanessa.

Anúncio
Não ao idadismo

Deusilene Duarte: “Trabalhando com os idosos, identificamos muitas situações de abandono e abuso. Percebemos que nossos idosos estavam com baixa autoestima”

Segundo a professora Leides Moura, frases como: “De mamando a caducando”; “o que você ainda está fazendo aqui?”; “está fazendo hora extra”; “Matuzalém ainda está aqui”; “por que você está usando essa roupa?”; “isso não é coisa de velho”, são exemplos de uma comunicação com intenção de idadismo.

“Trabalhando com os idosos, identificamos muitas situações de abandono e abuso. Percebemos que nossos idosos estavam com baixa autoestima. Eventos como esses resgatam a autoestima, o pensamento de que eles podem e conseguem planejar o futuro, se autocuidarem”, disse Deusilene.

O baiano natural da cidade de Lençóis Deusdete Joaquim dos Santos, 64, é viúvo e perdeu o contato com a única filha. Hoje, Deusdete vive sozinho com duas cadelas e reclama da discriminação que os idosos sofrem, mas é só elogios ao Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. “Somos muito bem acolhidos pelos Cecons. O trabalho aqui realmente funciona. Eu me sinto otimamente bem, venho todos os dias. Aqui somos uma família”.

Sem contato com a filha, Deusdete Joaquim dos Santos lamenta a discriminação que sofrem os idosos

A costureira Ivonete Lopes de Farias tem 67 anos, nasceu em Quixeramobim, no Ceará, e mora em Brasília há 23 anos. Para a mãe de cinco filhos, avó de 14 netos, e com 10 bisnetos, velhice depende da cabeça de cada um. “Eu não me considero velha, me considero uma pessoa vivida e com muita experiência para passar para os novos. Eu nunca tinha ouvido falar em idadismo. Isso é muito forte. Eu não ligo para preconceito. Eu ligo para a minha saúde. Com saúde eu enfrento tudo”.

Saúde é vida

Maria Augusta da Cruz teve 15 filhos ao longo dos seus 88 anos de vida. A mineira de Patos de Minas conta com alegria as histórias dos seis tataranetos. Maria Augusta sabe dos próprios direitos e utiliza os equipamentos públicos do Governo do Distrito Federal (GDF).

“Aqui eu faço capoterapia. Na segunda-feira eu faço um trabalho de artes. Venho para ficar mais corajosa e ter mais animação. Eu não acho a vida de idoso ruim, não. Eu acho minha vida muito boa. Faço hidroginástica na Vila Olímpica aqui do lado. Meus tratamentos médicos eu faço no posto de saúde e no hospital do Guará. Sou muito bem atendida”, afirma.

Aos 88 anos, Maria Augusta da Cruz faz capoterapia, trabalho com artes e hidroginástica: “Não acho a vida de idoso ruim”

O GDF tem um programa específico para o atendimento e promoção da saúde do idoso nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e em regimes domiciliares. O governo segue as orientações da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas/OMS) e tem 2024 como Ano do Envelhecimento Saudável. “Nosso objetivo é atrair o idoso para dentro das UBSs e promover a saúde com informações para evitar quedas, exercícios para o fortalecimento muscular, autocuidado, cuidados domésticos. Também acompanhamos os idosos internados em Unidades de Longa Permanência, os chamados asilos”, explicou Carine de Cássia Souza Rodrigues, diretora de Estratégia de Saúde da Família da Coaps da Secretaria de Saúde.

Anúncio

Distrito Federal

Período de indicação de créditos do Nota Legal é antecipado para dezembro

Publicado

no

Por

Mudança foi divulgada no ‘Diário Oficial do DF’ desta segunda-feira (15)

O período de indicação de créditos do programa Nota Legal mudou de data. Nos anos anteriores, os contribuintes faziam a indicação de créditos para desconto no IPTU e IPVA no mês de janeiro;  este ano, o prazo é de 1º a 20 de dezembro, conforme a portaria nº 507, publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta segunda-feira (15).

A mudança de data foi necessária para que os boletos dos anos seguintes já sejam enviados com o valor atualizado, contendo o desconto do valor indicado pelo contribuinte. Os créditos referentes à aquisição feita nos meses de outubro, novembro e dezembro somente poderão ser utilizados para abatimento do IPTU e IPVA no período de indicação do ano subsequente.

Anúncio
Continuar Lendo

Distrito Federal

Mais de 1,8 mil candidatos do Morar Bem são convocados para apresentação de documentos

Publicado

no

Por

Após o envio da documentação, os candidatos devem aguardar a análise da Codhab

Nesta segunda-feira (15), a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab-DF) convoca 1.891 candidatos para enviar a documentação necessária de habilitação no programa Morar Bem.

A lista de documentos exigidos pode ser acessada no site da companhia. O envio deve ser realizado pelo aplicativo de celular Codhab Cidadão.

Após o envio da documentação, os candidatos devem aguardar a análise, que não possui prazo determinado. Confira aqui a lista dos convocados.


Fato Novo com informações da Codhab

Anúncio

 

Continuar Lendo

Distrito Federal

Servidores do GDF terão direito a assistência odontológica

Publicado

no

Por

A medida busca ampliar cuidados com a saúde dos servidores públicos. Sancionada pelo governador Ibaneis Rocha, a lei será publicada na edição desta terça-feira (16) do Diário Oficial do Distrito Federal

O governador Ibaneis Rocha sancionou a lei que autoriza a prestação de assistência odontológica a servidores civis da administração direta, autárquica e fundacional do Distrito Federal, bem como a seus dependentes. A norma será publicada na edição de terça-feira (16) do Diário Oficial do Distrito Federal e regulamentada pelo GDF.

Para o governo estabelecer a prestação de assistência odontológica foi necessário enviar um projeto de lei para apreciação da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) regulamentando o inciso IV do artigo 271 da Lei Complementar nº 840/2011, que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos. Esse trecho da norma prevê que a assistência odontológica seja prestada “na forma de auxílio, mediante ressarcimento parcial do valor despendido com planos ou seguros privados de assistência à saúde”.

O novo benefício representa mais um avanço no cuidado do governo com a saúde dos servidores criado por esta gestão. “Nós tiramos do papel o plano de saúde, muito aguardado por eles, e que hoje é um sucesso, inclusive aceito nos melhores hospitais e clínicas do DF. A inclusão da assistência odontológica é um passo a mais que damos para cuidar da saúde daqueles que trabalham por um Distrito Federal melhor”, afirma Ibaneis Rocha.

Segundo a Secretaria de Economia, o regramento para a concessão do benefício está em estudo e será divulgado por meio de decreto após a sanção da lei que cria o benefício.

Anúncio

“Já garantimos cerca de R$ 44 milhões no orçamento deste ano para o programa. Nossa ideia é implementar até dezembro para todos os servidores civis do DF”, explica o secretário de Economia, Ney Ferraz.


“A valorização e o cuidado com o servidor é uma meta que estamos perseguindo diariamente. A determinação do governador Ibaneis é melhorar a qualidade de vida dos servidores, e a saúde bucal entra nessa questão. Criamos o plano de saúde do servidor e agora vamos entregar um auxílio para o tratamento odontológico”, acrescenta o secretário de Economia.


Plano de Saúde

Vale lembrar que a atual gestão criou, no Dia do Servidor em 28 de outubro de 2020, o GDF Saúde, e que atualmente conta com 100 mil beneficiários da administração pública. A rede credenciada é composta por 2.440 parceiros, sendo 47 hospitais, mais de duas mil clínicas, 22 laboratórios, uma cooperativa e cinco associações médicas. O plano de saúde voltado ao funcionalismo público é gerido pelo Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Distrito Federal (Inas).

Este ano, o convênio ampliou a assistência passando a atender os servidores do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF). Também foi em 2024 que o plano passou a ser aceito para atendimento ambulatorial em clínicas e laboratórios de sete cidades, localizadas na Área Metropolitana de Brasília: Formosa, Planaltina, Águas Lindas, Valparaíso, Cidade Ocidental, Luziânia e Novo Gama.


Fato Novo com informações: Agência Brasília

Anúncio
Continuar Lendo

Mais vistas