Ligue-se a nós

Mundo

Ex-atriz que recebeu pagamentos de campanha pede prisão de Donald Trump

Publicado

no

Stormy Daniels afirma que recebeu 130 mil dólares para evitar um escândalo sexual na reta final da campanha de 2016

Stormy Daniels, a ex-atriz de filmes adultos que está no centro do caso que levou Donald Trump a ser considerado culpado de fraude contábil em um julgamento criminal na última semana, pediu pela prisão do ex-presidente e atual candidato republicano à Casa Branca, em entrevista publicada na imprensa britânica.

“Acho que ele deveria ser condenado à prisão e a algum serviço comunitário, trabalhando para os menos favorecidos, ou sendo saco de pancadas voluntário em um abrigo para mulheres”, disse Daniels ao jornal britânico Daily Mirror no sábado (1).

Esta é a primeira entrevista de Daniels desde que um júri de Nova York considerou o ex-presidente culpado, na quinta-feira (30), de 34 acusações de falsificação de documentos contábeis para ocultar um pagamento destinado a silenciar a ex-atriz, que afirma ter tido relações com o magnata, o que ele nega.

Daniels, de 45 anos, afirma que recebeu US$ 130 mil (cerca de 680 mil)  para evitar um escândalo sexual na reta final da campanha de 2016 que levou Trump à Casa Branca.

Ela afirmou que Trump, o primeiro ex-presidente dos EUA a ser condenado pela Justiça, “está completa e absolutamente fora de sintonia com a realidade”.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

“Estar no tribunal foi muito intimidador, com os jurados olhando para mim”, disse a mulher que usa um nome artístico, mas é legalmente chamada de Stephanie Clifford. “Como eu sempre disse, tenho dito a verdade o tempo todo”.

O depoimento de Daniels foi um dos momentos mais comentados do julgamento, já que a ex-atriz contou detalhes da relação sexual que teve com o magnata em 2006.

“Isso não acabou para mim. Para mim, isso nunca vai acabar”, disse a mulher, que afirmou que mesmo que Trump seja considerado culpado, ela terá que viver para sempre com este “legado”.

Daniels afirmou na entrevista que se sente “vingada”, e achar que nunca conseguirá escapar das ameaças de morte que recebe dos apoiadores de Trump. No documentário Stormy, a ex-atriz confessou que os constantes insultos que recebe de Trump e dos seus simpatizantes a magoam, mas que está mais preocupada com as ameaças.

“São ameaças diretas, como ‘vou até sua casa e vou cortar sua garganta’ ou ‘sua filha deve sofrer eutanásia’”.

Campanha eleitoral continua

O republicano de 77 anos, que classificou o processo contra ele como “injusto”, foi libertado sem fiança após uma audiência esta semana.

O ex-presidente (2017-2021) poderá ser condenado a quatro anos de prisão por cada acusação, mas é mais provável que seja condenado à liberdade condicional, já que não tem antecedentes criminais. Mesmo assim, ele não está inabilitado para continuar a sua campanha eleitoral, inclusive no caso de ser preso.

Neste domingo, em entrevista à rede Fox News, Trump afirmou que uma pena de prisão pode ser “um ponto de ruptura” para os seus apoiadores.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Embora o magnata tenha indicado que pessoalmente estava “de acordo” com a ideia de ser preso pelas acusações impostas neste julgamento, alertou que tal sentença “seria difícil de ser aceita pelo público”.

O presidente americano, Joe Biden, que busca a reeleição nas eleições de novembro, criticou o seu futuro adversário nas urnas por questionar o sistema judicial dos EUA e dizer que seu processo foi fraudado e descreveu suas declarações como “perigosas”.

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.


Fato Novo com informações e imagens: AFP / Brasil de Fato

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90
Continuar Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

Veja lugares proibidos para humanos no mundo; Brasil está na relação

Publicado

no

Por

Existem territórios em que turistas não podem colocar os pés

Ainda hoje existem locais proibidos para os seres humanos, seja por perigos à vida, patrimônio histórico ou científico. Um deles está no Brasil, em São Paulo. Índia, Noruega, França, Austrália também estão na lista.

Confira:

Ilha da Queimada Grande – Brasil

Conhecida como Ilha das Cobras, o local tem entre uma a cinco cobras por metro quadrado, estimam pesquisadores. A circulação é proibida.

Ilha Sentinela do Norte – Índia

A Sentinela do Norte é uma das ilhas do arquipélago de Andamão, na baía de Bengala. A maior parte da ilha é coberta por florestas. A parte norte da ilha Sentinela do Norte é habitada pelos sentineleses, uma tribo que vive por lá.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Os sentineleses são hostis e totalmente contrários à ideia de ter contato com outras civilizações. Seu grau de isolamento é tão grande que essa tribo da ilha Sentinela do Norte é um dos últimos povos ainda sem absolutamente nenhum contato com a civilização moderna.

Svalbard Global Seed Vault – Noruega

É um enorme depósito de sementes de todo o mundo, no arquipélago de Svalbald, na Noruega. O depósito guarda em segurança máxima 1,1 milhão de amostras de sementes de 5,4 mil espécies vegetais, enviadas por mais de mais de 80 países desde 2008.

Continuar Lendo

Mundo

Multidão na Casa Branca exige o fim da guerra em Gaza e condenação dos crimes de Israel

Publicado

no

Por

Manifestação gigante fez com que o governo americano tomasse medidas adicionais de segurança; veja vídeo aqui

Milhares de manifestantes se reuniram na porta da Casa Branca em Washington, nos Estados Unidos, neste sábado (8), para exigir o fim da guerra na Faixa de Gaza e do apoio americano a Israel. A manifestação lembrou os oito meses do início do conflito na região.

A movimentação, segundo informações da Reuters e AFP, fez com que o governo americano tomasse várias medidas de segurança já na véspera do evento. Foi cercado com grades o entorno da residência oficial do presidente americano Joe Biden, que está em viagem oficial à França.

“Em preparação para os eventos deste fim de semana em Washington, que têm potencial para reunir grandes multidões, medidas adicionais de segurança pública foram implementadas perto do complexo da Casa Branca”, disse um porta-voz do Serviço Secreto dos EUA.

Vermelho

Os manifestantes estavam vestidos de vermelho. Segundo organizadores, a cor foi para lembrar a reação de Biden após o ataque israelense a Rafah, quando foram mortos dezenas de palestinos em acampamento de deslocados.

Biden afirmou que Israel não havia ultrapassado a a “linha vermelha” traçada pelos EUA para suspender o envio de armas ao país em guerra.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Apesar de ter pausado o envio de um carregamento de bombas para Israel, segundo anúncio feito em maio, o apoio militar de Washington a Tel Aviv segue intacto. A pausa teria como objetivo, segundo anúncio da Casa Branca, evitar que armas americanas fossem usadas em um possível ataque à cidade de Rafah. Mais de 1 milhão de moradores na Faixa de Gaza se deslocaram para o local.

Manifestações nos EUA

Manifestações têm surgido em varias partes do país ao longo dos últimos meses contra o apoio americano a Israel. Desde marchas em Washington e vigílias próximas à Casa Branca até o bloqueio de pontes e estradas perto de estações de trem e aeroportos em várias cidades e acampamentos em muitos campi universitários.

A manifestação de sábado foi organizada por grupos de defesa e ativistas como Codepink e o Conselho de Relações Islâmico-Americanas.

O Ministério da Saúde de Gaza informou que, até o momento, houve 36.801 mortes no território desde o início da guerra entre Israel e o Hamas, além de 83.680 feridos.

Centenas de manifestantes se deitaram neste sábado (8), em frente ao Museu Guggenheim, em Bilbao, na Espanha. O objetivo era simular as vítimas em Gaza e acusar Israel de cometer genocídio.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Fato Novo com informações: Revista Fórum

Continuar Lendo

Mundo

Europa em ebulição: o que esperar das eleições antecipadas na França?

Publicado

no

Por

Marine Le Pen, rival de Emmanuel Macron, saiu na frente e avançou no número de representantes no Parlamento Europeu

O presidente da FrançaEmmanuel Macron, anunciou no domingo (9/6) a dissolução da Assembleia Nacional e a antecipação das eleições parlamentares para o fim deste mês. Apesar de prevista no sistema parlamentarista francês, a decisão mostra como são profundas, em um dos maiores países da Europa, as eleições para o parlamento continental, nas quais o centro manteve o controle, mas a extrema direita avançou com força.

O movimento de Macron acontece após o partido da maior rival de Macron na França, Marine Le Pen, comemorar vitórias nas eleições do Parlamento Europeu. A turbulência acontece ainda em meio aos preparos paras as Olimpíadas de Paris.

Depois do avanço da extrema direita, Marine celebrou. “Estamos prontos para tomar o poder se os franceses confiarem em nós”, afirmou ela, que defende ideias nacionalistas e tem se aproximado dos trabalhadores franceses.

O resultado provisório divulgado pelo Parlamento Europeu, na noite de domingo, mostra o Rally Nacional de extrema direita, chefiado por Jordan Bardella, comandando a disputa, seguido por Renaissance, Modem, Horizons e UDI, liderada por Valérie Hayer.

Continuar Lendo

Mais vistas