Ligue-se a nós

Distrito Federal

GDF investe em ações conjuntas para evitar incêndios na época da seca

Publicado

no

Em 2023, a área destruída pelo fogo no DF diminuiu 70% em comparação com o ano anterior, um reflexo da eficácia das ações implantadas pelos órgãos ambientais e forças de segurança

A temporada de seca no Distrito Federal está batendo à porta e, durante o período, também começam os alertas para incêndios, risco constante nesta época do ano. Com objetivo de proteger a biodiversidade e evitar os danos causados pelas queimadas, o Governo do Distrito Federal (GDF) tem implementado uma série de medidas preventivas e de conscientização.

Desde o início do ano, a Secretaria do Meio Ambiente e Proteção Ambiental (Sema-DF) investe em prevenção, com a contratação de 150 brigadistas; em educação ambiental, com ações junto à comunidade; e em capacitação para os servidores que atuam no setor.

Com objetivo de proteger a biodiversidade e evitar os danos causados pelas queimadas, o Governo do Distrito Federal (GDF) tem implementado uma série de medidas preventivas e de conscientização | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

De acordo com a pasta, em 2023, a área destruída pelo fogo no DF diminuiu 70% em comparação com o ano anterior. O secretário Gutemberg Gomes destaca as ações do governo e o papel da população nas ações de combate às queimadas como medidas que contribuíram com a redução do índice.

“As blitze educativas são fundamentais para aumentar a conscientização ambiental e promover um impacto positivo duradouro na prevenção dos incêndios florestais. É uma oportunidade para ensinar e aprender, fortalecendo a nossa comunidade na luta contra essas queimadas desastrosas”, afirma Gomes.

De acordo com o Instituto Brasília Ambiental, no ano passado, 54 das 86 unidades de conservação e parques administrados pelo instituto tiveram registros de incêndio. No entanto, somente 4,5% da área total desses locais foram queimados, um reflexo da agilidade e eficiência das ações da brigada ambiental do órgão.

De acordo com o Instituto Brasília Ambiental, no ano passado, 54 das 86 unidades de conservação e parques administrados pelo instituto tiveram registros de incêndio

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Em 2024, 38 ocorrências de incêndios foram registradas até este mês de maio. Ao todo, 124 hectares foram destruídos. O presidente do Brasília Ambiental, Rôney Nemer, defende que um serviço adequado de combate à devastação causada pelo fogo também passa pela valorização dos profissionais na linha de frente.

“Os brigadistas florestais são essenciais para nos prepararmos para esse momento crítico. Eles contribuem por meio das práticas de aceiros, coroamento, roçagem, reforço nas práticas de educação ambiental, entre outras atividades. Ano passado conseguimos diminuir em 70% as queimadas devido ao nosso esforço de contratação antecipada. Acredito que neste ano teremos ainda mais sucesso”, destaca Nemer.

Papel de todos

A população também tem um papel fundamental a partir de cuidados simples, porém decisivos, quando se trata de incêndios florestais. Em meio às condições climáticas desfavoráveis, é importante que cada morador esteja atento aos impactos negativos das queimadas.

Arte: Agência Brasília

Outra frente de esforços do governo em prol de um objetivo comum, o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) realiza, desde o último mês de abril, rondas em áreas de preservação e ações de capacitação para comunidades rurais, para que os próprios moradores contribuam com o combate a pequenos focos de incêndio.

Ao todo, a capacitação atingiu 150 pessoas de diversas propriedades no Distrito Federal, em regiões como Planaltina, Sobradinho, Brazlândia, Gama e Jardim Botânico. Nos próximos meses, em junho e julho, 50 novos combatentes florestais passarão por um curso de especialização para atuar nas próximas temporadas.

“Existe a possibilidade de aumento do número de queimadas neste ano e assim, consequentemente, o aumento também do número de chamadas ao Corpo de Bombeiros. É de suma importância que a população nos apoie tendo a consciência de não realizar queimadas sem o devido apoio do CBMDF, não colocando em risco nossa fauna e flora, nossas vidas e nossos bens patrimoniais”, reforça o coronel Sandro Gomes, Comandante-Geral do CBMDF.

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.


Fato Novo com informações e imagens: Agência Brasília

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Continuar Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil

No Distrito Federal, 263 armas de fogo são apreendidas por órgãos federais em 16 meses

Publicado

no

Por

Considerando somente 2023, foram 202 apreensões, aumento de 88,7% em relação a 2022. Em todo o país, 13.340 armas foram apreendidas por PF, PRF e Senasp entre janeiro de 2023 e abril de 2024

No Distrito Federal, 263 armas de fogo ilegais foram apreendidas por órgãos federais de segurança desde o início do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O número é referente ao período entre janeiro do ano passado e abril de 2024, quando os itens foram retirados de circulação pela Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP). Considerando somente 2023, foram 202 apreensões no DF, um aumento de 88,7% em relação a 2022, quando 107 armas foram retiradas de circulação pelas forças federais.

Os dados estão disponíveis no ComunicaBR, plataforma de transparência ativa do Governo Federal

Em todo o país, 13.340 armas de fogo foram apreendidas por PF, PRF e SENASP entre janeiro de 2023 e abril de 2024. Somente no ano passado, foram 10.935 apreensões, um incremento de 28% em relação a 2022 (8.466). E, nos quatro primeiros meses deste ano, mais 2.405.

O diretor de Operações Integradas e de Inteligência da Senasp (DIOP/SENASP), Rodney Silva, explica que os números registrados em 2023 e 2024 decorrem do aumento da fiscalização e das ações operacionais da PF, da PRF e das polícias militares e civis dos estados.


“O foco tem sido a prevenção das ocorrências de crimes mais graves, como mortes violentas intencionais, crimes passionais e o crime organizado, que se aproveita desse comércio ilegal de armas e, consequentemente, fortalece o tráfico de drogas, o tráfico de armas propriamente dito, tomadas de cidade e outros crimes violentos”, afirma Silva.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Ações como o Programa Nacional de Enfrentamento às Organizações Criminosas (ENFOC), que conta com aporte federal de R$ 900 milhões até 2026, e expansão dos Grupos de Investigações Sensíveis (GISE) e das Forças Integradas de Combate ao Crime Organizado (FICCO), ligados à Polícia Federal, impactaram diretamente os números de apreensões de armas de fogo no Brasil.

Os GISE foram expandidos em 2023 e passaram a operar em 21 estados. As FICCO estão em todo o país. O Ministério da Justiça e Segurança Pública destinou R$ 85 milhões para o funcionamento das unidades, especialmente para pagamento de diárias, aquisição de viaturas, materiais de apoio e equipamentos tecnológicos e de inteligência.

“O desafio da segurança pública no combate ao uso ilegal de arma de fogo perpassa pelo fortalecimento da atividade de inteligência de segurança pública, a integração das forças de segurança e também a participação da sociedade na construção coletiva de soluções alternativas em busca do entendimento sobre a resolução de conflitos”, finaliza Silva.

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.


Fato Novo com informações e imagens: Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90
Continuar Lendo

Distrito Federal

Confira as vagas de emprego disponíveis no DF nesta sexta-feira (21)

Publicado

no

Por

DF tem 397 vagas de emprego nesta quarta (17)

O cadastro para as oportunidades em diversas regiões pode ser feito por aplicativo ou pessoalmente em uma das 14 unidades das agências do trabalhador

Nesta sexta-feira (21), 503 vagas estão disponíveis nas agências do trabalhador para quem busca emprego na capital federal. Os salários variam entre R$ 1.412 e R$ 3 mil, com vagas que exigem experiência comprovada e outras que não.

Entre as oportunidades, 30 são para orientador educacional (R$ 1.412) e outras 30 para operador de telemarketing ativo na Asa Sul (R$ 1.412). Também estão disponíveis 23 vagas para auxiliar de cozinha, uma delas sendo na Asa Norte (R$ 1.425,60), outra no Lago Norte (R$ 1.524) e outra em Águas Claras (R$ 1.524).


Mesmo que nenhuma das oportunidades do dia seja atraente ao candidato, o cadastro vale para oportunidades futuras, já que o sistema cruza dados dos concorrentes com o perfil que as empresas procuram


Nos salários acima dos R$ 2 mil, oito chances como limpador de fachada alpinista industrial (R$ 3.200) aguardam candidatos na Asa Norte. Há também uma vaga para chef de cozinha (R$ 2.700) na Asa Sul e uma para cozinheiro geral (R$ 2.500).

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Mesmo que nenhuma das oportunidades do dia seja atraente ao candidato, o cadastro vale para oportunidades futuras, já que o sistema cruza dados dos concorrentes com o perfil que as empresas procuram.

Empregadores que desejam ofertar vagas ou utilizar o espaço das agências do trabalhador para entrevistas podem se cadastrar pessoalmente nas unidades ou pelo aplicativo Sine Fácil. Também é possível solicitar atendimento pelo e-mail gcv@setrab.df.gov.br. Pode ser utilizado, ainda, o Canal do Empregador, no site da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda (Sedet).

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.


Fato Novo com informações e imagens: Agência Brasília

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90
Continuar Lendo

CLDF

Deputados temem “desfiguração” de Brasília com aprovação do PPCUB

Publicado

no

Por

Os deputados Chico Vigilante e Gabriel Magno, ambos do PT, fizeram duras críticas ao conteúdo do Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB), nos termos em que o projeto de lei complementar nº 41/2024 foi aprovado ontem

Da tribuna da Câmara Legislativa, nesta quinta-feira (20), os parlamentares declararam temer pela “desfiguração” do projeto original da cidade. Também comentaram sobre o que consideram “interesses econômicos” na matéria.

Para Vigilante, foram incluídas áreas que “não poderiam ser comercializadas”, como a do Clube de Caça e Pesca e da Academia de Tênis. Ambas estão na região do Palácio da Alvorada e do Palácio do Jaburu, residências do presidente da república e do vice-presidente, respectivamente. “Estes locais podem se transformar em hotéis e residências para 20 mil pessoas”, destacou o distrital.


“A União é dona de 49% das terras de Brasília. Por esse motivo, vou enviar expediente para que a Presidência tome conhecimento. Além disso, pedirei que a Polícia Civil e a Polícia Federal investiguem”, anunciou, afirmando que não ficará calado ante modificações que poderão ocorrer: “Brasília, pensada por Juscelino Kubitschek e desenhada por Lucio Costa e Oscar Niemeyer, é patrimônio do povo brasileiro e mundial. Por isso, não pode ser mutilada”.


Deputado Distrital Gabriel Magno (PT)

“Este é o assunto da cidade hoje”, completou Gabriel Magno, que classificou o projeto “como um plano de negócios que vai destruir Brasília”. Para ele, “o PPCUB está submisso aos interesses da especulação imobiliária e dos grileiros”. O deputado ainda se referiu ao governador Ibaneis Rocha nos seguintes termos: “Vimos se estabelecer um balcão de negócios organizado por quem deveria proteger a cidade”.

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Fato Novo com informações e imagens: Agência CLDF

Continuar Lendo

Mais vistas