Ligue-se a nós

obituário

Morre Rogerio Muniz, proprietário do mercado La Palma

Publicado

no

A empresa comunicou a perda inesperada do empresário, aos 72 anos, nas redes sociais. Rogerio deixa a esposa, duas filhas e três netos

Morreu, aos 72 anos, na madrugada desta segunda-feira (13/5), Rogerio Muniz Netto, proprietário do mercado La Palma. A causa da morte ainda é desconhecida, o empresário passou o Dias das Mães bem, ao lado da família, mas faleceu nesta madrugada, enquanto dormia. O velório será nesta terça-feira (14/5), a partir das 12h, na capela 2 do cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul. Uma cerimônia de falecimento budista ocorrerá às 13h.

As lojas do empresário, na 404 Norte e 413 Sul, amanheceram fechadas após a publicação de nota de pesar nas redes sociais: “É com profundo pesar que a nossa empresa, por meio da gerência e toda direção, comunica a todos os amigos e entes a perda inesperada do proprietário da empresa La Palma”, declarou a publicação.

Geólogo de formação e doutor em gastronomia, Rogerio, que gostava de se apresentar como quitandeiro, nasceu em Belford Roxo, no Rio de Janeiro, mas foi criado em solo mineiro. Apaixonado por gastronomia, herdou, junto à esposa Mariko Saito, o empório criado por seu sogro Ichikichi Saito, natural do Japão. O casal presenciou o nascimento do mercado de produtos de alto padrão na capital, e construiu um empório com mais de 10 mil especiarias. Rogerio Muniz deixa a esposa, duas filhas e três netos.

Amigo fraterno

Um dos grandes nomes da gastronomia brasiliense, o proprietário do restaurante Dom Francisco, Francisco Ansiliero, declarou ao Correio estar em choque com a notícia. Parceiros de longa data, se conheceram há mais de 30 anos quando iam ao Ceasa fazer compras para as empresas. “Ele foi um grande incentivador da gastronomia, trazendo sabor qualidade e produtos diferentes, sobretudo temperos especiais. Quando tinha algum problema no restaurante, o recurso que não falhava era o La Palma, muito dificilmente a gente ia lá e não achava o produto que era procurado”, relembrou.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Francisco falou, ainda, que Rogerio tinha uma enorme vontade de ajudar e que além de distribuir os produtos ensinava os clientes a usar os temperos. “Para a gastronomia da capital, ele, certamente, é uma das  pilastras e quem for fazer história sobre isso deve fazer uma capítulo especial sobre quem foi o Rogério para a gastronomia brasiliense.”

Abalado, o professor e biólogo gourmet Marco Antônio Veronese contou que havia falado com Rogerio ontem à tarde, quando ele o ligou para desejar feliz dia das mães a sua esposa. Colecionando quase 60 anos de amizade, os dois conheceram-se na Universidade de Brasília (UnB) e consideravam-se família. Com exceção da última virada de ano, por motivos relacionados à saúde, passaram os 15 últimos réveillon juntos, na casa de Rogério. Falavam ao telefone todos os dias. “Ele estava animado ontem, estava bem, faleceu dormindo. Ele tinha uma série de problemas de saúde, mas não foi isso, ele estava indo no médico e se tratando”, lamentou.

Marco relembrou, sorrindo, que os dois compartilharam inúmeros momentos juntos, desde viagens à Europa a conversas nos estabelecimentos. “Naquela época, Brasília não tinha nada, ele era o único sujeito da área. Quando a gente precisava de alguma coisa, ele conseguia: ‘Rogerio, eu preciso de alcaparra seca!’, ele achava alguém para ir buscar no Sul da Itália e 15 dias depois ela estava aqui”, disse.

“Ele foi o refino da comida de Brasília, isso é um ponto fundamental. A história gastronômica da capital se deve à história do Rogério, porque não tinha nada, era só ele”, declarou.

O chef Gil Guimarães, dono da Pizzaria Baco, contou que mantinha amizade com Rogerio há 25 anos, desde o início de sua pizzaria. Ele definiu o gastrônomo como um grande cozinheiro e grande amigo. “Foram tantas conversas, sempre falando dos produtos, das novidades, correndo atrás e dando ideias. Uma das pizzas mais famosas da Baco é uma receita dele. Ele foi um cara superimportante para a gastronomia de Brasília, todos os chefs, todo mundo que trabalha na área tem uma história legal para falar dele”, ele completou dizendo que o empresário era muito querido não apenas pelos amigos de profissão, mas por pessoas que frequentavam o estabelecimento.

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Fato Novo com informações e imagens: Correio Braziliense

Continuar Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Presidente do Irã, Ebrahim Raisi, morre em queda de helicóptero

Publicado

no

Por

Aeronave caiu em região montanhosa do Irã, na província de Azerbaijão Oriental, em razão das más condições climáticas

O governo iraniano confirmou na madrugada desta segunda-feira (20/05) a morte do presidente Ebrahim Raisi e de sua comitiva, após a queda do helicóptero que os transportava para o país depois de uma visita à fronteira com o Azerbaijão.

Raisi, de 63 anos, viajava das zonas fronteiriças do nordeste para a cidade de Tabriz, na província do Azerbaijão Oriental, onde inauguraria uma refinaria no último domingo (19/05).

Segundo a imprensa oficial iraniana, o helicóptero caiu numa região montanhosa do Irã, entre as aldeias de Pir Davood e Uzi, na província iraniana de Azerbaijão Oriental, em razão das más condições climáticas.

A agência de notícias Mehr afirmou que o ministro das Relações Exteriores do Irã, Hossein Amir-Abdollahian, o governador da província do Azerbaijão Oriental, Malek Rahmati, e o líder religioso de Tabriz, Mohammadali Al-Hashem, também morreram a bordo da mesma aeronave.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Entre as vítimas estão ainda o guarda-costas do presidente, o general Mehdi Mousavi, membro da base Ansar al-Mahdi da Guarda Revolucionária, o piloto, o co-piloto e o engenheiro de voo.

O acidente ocorreu por volta das 13h30 (horário local) do último domingo, logo após Raisi visitar o rio Aras, na fronteira com a República do Azerbaijão, para inaugurar uma barragem juntamente com o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev.

Os destroços do helicóptero foram encontrados após mais de 12 horas de buscas em uma região remota do noroeste do país, na floresta de Dizmar, depois de um drone enviado pela Turquia com sensores de calor identificar o local da queda.

Segundo o chefe do Crescente Vermelho do Irã, Pir-Hossein Kolivand, citado pela imprensa local, todos os corpos foram transferidos para Tabriz, perto do local do acidente. As operações de busca são, portanto, consideradas concluídas.

Conforme noticiado pela agência Mehr, o funeral do presidente iraniano será realizado nesta terça-feira (21/05, em Tabriz. Após a confirmação da morte, o governo iraniano anunciou ainda que continuará a operar “sem interrupção” e decretou cinco dias de luto nacional.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

“O trabalhador e incansável presidente do povo iraniano sacrificou a sua vida pela nação”, afirmou em comunicado.


“Garantimos à nação leal que, com a ajuda de Deus e o apoio do povo, não haverá a menor interrupção na administração do país”.

Mais cedo, uma reunião emergencial foi presidida por Mohammad Mokhber, o primeiro vice-presidente, que de acordo com a constituição, em caso de morte súbita do chefe do governo, terá de ocupar o cargo de mandatário enquanto novas eleições deverão ser realizadas dentro de 50 dias.

De acordo com o Ministério do Esportes e Juventude, todas as competições esportivas agendadas para esta semana no Irã foram canceladas na sequência da morte do presidente iraniano.

O guia supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, classificou a morte de Raisi como um “acidente amargo” e afirmou que ele era “uma pessoa amigável, sincera e valiosa que estava incansavelmente ao serviço do povo e também dos funcionários que o acompanhavam”.

Khamenei também confirmou que o primeiro vice-presidente, Mohammad Mokhber, assumirá a responsabilidade pela administração até as próximas eleições presidenciais.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

“O vice-presidente é responsável pela organização das eleições presidenciais, juntamente com os chefes do Parlamento e do poder judicial, no prazo de 50 dias, de acordo com a Constituição”, explicou ele.

Em nota, o Conselho Estratégico para as Relações Exteriores, citado pela IRNA, afirmou também que o caminho da política externa iraniana continuará sob a liderança do líder Ali Khamenei.

“O presidente e ministro das Relações Exteriores fizeram todo o possível para materializar os interesses nacionais da República Islâmica e fizeram desenvolvimentos admiráveis na luta contra as tirânicas sanções estrangeiras contra o Irã, bem como no apoio ao movimento de resistência na região e para o povo herói da Palestina”, conclui o texto.


Fato Novo com informações e imagens: Opera Mundi

Continuar Lendo

Nerd

Morre Carmen Sheila, dubladora de ‘ThunderCats’ e ‘Yu Yu Hakusho’

Publicado

no

Por

Atriz carioca de 79 anos dedicou mais de seis décadas de trabalhos memoráveis na dublagem

Continuar Lendo

obituário

José Flávio Sombra Saraiva, professor da UnB, morre aos 64 anos

Publicado

no

Por

José Flávio Sombra Saraiva morreu, aos 64 anos, nesse sábado (18/5). O professor atuava no Instituto de Relações Internacionais da UnB

O professor José Flávio Sombra Saraiva morreu, aos 64 anos, nesse sábado (18/5). O acadêmico foi um dos fundadores do Instituto de Relações Internacionais (IREL) na Universidade de Brasília, onde lecionou por mais de 30 anos.

A morte do professor ocorreu devido a complicações causadas pelo Alzheimer. Por conta da doença, Saraiva retornou a sua cidade natal, Limoeiro do Norte, Ceará. O sepultamento vai ocorrer às 16h deste domingo (19/5) no Cemitério Vale da Paz, localizado no município cearense.

Gilson Saraiva, irmão do professor, lamentou o falecimento. “Flávio! Vá em paz. A gente reconhece o cara bacana que você foi. Obrigado, meu irmão. Somos orgulhosos e felizes por ter vivido ao seu lado.”

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Saraiva tinha graduação em Relações Internacionais pela UnB (1981), mestrado em História pelo El Colegio de México (1985), doutorado na The University of Birmingham (1991) e estudos pós-doutorais em Relações Internacionais pela Universidade de Oxford, Inglaterra (1998). Além de professor titular da Universidade de Brasília, foi pesquisador 1 do CNPq e líder de grupo de pesquisa na área de História das Relações Internacionais Contemporâneas.

“A vida perdeu graça, o mundo empobreceu. As boas sementes que ele aqui deixou nos consolam. Compartilhamos a dor dos familiares e demais amigos, com a esperança de diminui-la”, indicou o IREL em nota de pesar.

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.


Fato Novo com informações e imagens: Metrópoles

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90
Continuar Lendo

Mais vistas