Ligue-se a nós

Educação

Programa quer garantir 100% de alfabetização no ensino fundamental

Programa Alfaletrando visa garantir 100% de alfabetização no Ensino Fundamental, promovendo inclusão e formação contínua dos professores

Publicado

no

Programa quer garantir 100% de alfabetização no ensino fundamental

A Secretaria de Educação lançou, nesta terça (16), o programa Alfaletrando, que tem como objetivo promover a alfabetização e o letramento de crianças, com vistas à melhoria da qualidade da educação básica em todo o DF

Para a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, o Alfaletrando é um dos programas pedagógicos mais importantes da pasta. “Vamos implementar um programa voltado para a alfabetização na idade certa”, afirmou. “A criança que é alfabetizada no tempo certo segue adiante, sem reprovação, sem distorção, e não abandona a escola, porque ela está motivada, sabe ler, já está lá na frente”.

A gestora ressaltou que o Alfaletrando é, sobretudo, um programa de inclusão: “Vamos trabalhar também com as crianças que têm necessidades especiais. Somos a única unidade da Federação que construiu o próprio programa de alfabetização, e eu tenho muito orgulho disso”.

Formação

Saber ler e escrever são passos essenciais para a compreensão de outras disciplinas, estimulando o pensamento crítico, a comunicação eficaz e a autoconfiança. É com essa premissa que a professora Maria Elena Tavares, articuladora da Unidade de Educação Básica (Unieb) da SEEDF, reforçou a importância da alfabetização e do letramento no tempo adequado.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

“Ainda existem crianças que estão no 5º ano, por exemplo, e têm dificuldades com a leitura e a escrita”, comentou a gestora. “O programa também ampara essas crianças, por meio do reforço de aprendizagens. Nós temos a formação aqui na Subsecretaria de Formação Continuada dos Profissionais de Educação (Eape) com os articuladores locais e, juntamente com ele [o programa], formamos os cursistas, que são os professores que estão nas turmas de alfabetização.”

Alfaletrando DF

O programa foi instituído por meio do Decreto nº 45.495/2024, que tem como eixo garantir o direito à alfabetização de crianças até os sete anos de idade, como forma de colaborar para a construção de trajetórias escolares bem-sucedidas.

O decreto especifica que são dois os objetivos do programa. O primeiro é garantir que 100% das crianças matriculadas na rede pública de ensino estejam alfabetizadas ao final do 2º ano do ensino fundamental. O segundo é recompor as aprendizagens, com foco na alfabetização, de 100% das crianças matriculadas nos 3º, 4º e 5º anos da rede pública de ensino, em vista do impacto da pandemia de covid-19 para esse público.

A expectativa é de que o programa seja implementado em todas as unidades escolares que oferecem o 1º e 2º ano do ensino fundamental, concentrando esforços no processo inicial de alfabetização.


Fato Novo com informações: Ao Vivo Brasília

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90
Continuar Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Distrito Federal

UNB, sessenta anos depois do Golpe de 1964, sua essência e as suas metas

Publicado

no

Por

UNB, sessenta anos depois do Golpe de 1964, sua essência e as suas metas

Aos sessenta anos do Golpe de Estado de 1964, mesmo que alguns setores da esquerda prefiram não o remoer, faz-se necessário tecer alguns comentários e lembrar dos desafios e objetivos da educação no Brasil, no Governo João Goulart, que deu à Nação, tal vez a mais evoluída proposta educacional, jamais proposta ao Brasil.

Educação, saúde e trabalho, foram sempre a primazia política do trabalhismo e principalmente do governo Jango.

Em seu governo, trabalharam os maiores gênios da educação brasileira, como Paulo Freire, Darcy Ribeiro e Anísio Teixeira.

A proposta de uma educação revolucionária, no sentido de cidadania e independência intelectual, com um verdadeiro sentido de soberania e consciência social do aprendiz, brasileiro, do povo brasileiro, dono de seu destino, nunca antes, nem depois, foi proposta ao Brasil.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90
Tal vez seja por isso, que ao não querer remoer o golpe de 1964, não se queira falar, do muito que se fez, na educação, no Governo João Goulart.

Eis aí que entra a Universidade de Brasília, a UNB.

A UNB é criada por meio da lei Nº 3.988\61, sancionada por Jango, nos primeiros meses de seu governo, e Darcy torna-se então seu primeiro reitor.

A UNB foi concebida como uma universidade nova, no sentido de pensar o Brasil, dirigindo seus formandos com essa visão nacional, de um olhar eminentemente brasileiro, revolucionário, no sentido de inclusão social, demográfico, étnico e ambiental. Esse pensamento nacional que incluía todos os diferentes povos brasileiros: negros, mulatos, mamelucos, ribeirinhos, indígenas, migrantes europeus, asiáticos, multirraciais, que compõem a totalidade de nossa civilização brasileira, a qual Darcy Ribeiro sonhava na inclusão de convivência, ao que chamava de “socialismo moreno”.

Essa mistura de culturas, próprias do Brasil, era a grande riqueza que Darcy imaginava para a formação de uma potência social, mundial, que nenhum outro país tem, como unidade para a formação de uma nação idealizada com cultura, paz, riqueza e um povo feliz conduzido por um autêntico e próprio “socialismo brasileiro”.


A UNB, tem sido uma universidade de resistência.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Resistiu a ditadura, resistiu a governos fascistas, como este dos últimos quatro anos do Bolsonaro, tem resistido a falta de recursos, mas está na hora de retomar seu destino, como a grande orientadora do pensamento nacional, do pensamento progressista num novo tempo. Tempo de novos desafios ambientais, econômicos, políticos e, estar a frente de um novo projeto de Nação.

Desta universidade tem saído grandes intelectuais, governadores, senadores e deputados, e agora neste ano, teremos eleições para uma nova direção.

Necessitamos propostas de futuro, para que a UNB retome o protagonismo pela qual foi pensada, ser o cérebro de novas e candentes propostas para o Brasil.

Está na hora de um grande debate, não só do Distrito Federal, mas de toda a Nação, para que se recoloque esta Universidade de Brasília onde sempre esteve, na vanguarda do pensamento evolutivo e progressista.

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Fato Novo com informações e imagens: Revista Fórum

Continuar Lendo

Distrito Federal

Centro de Educação da 1ª Infância na UnB será inaugurado em agosto

Publicado

no

Por

Enquanto era deputada federal, Paula Belmonte destinou recursos de emendas para o centro de educação, que deve atender 100 crianças

Centro de Educação da Primeira Infância (CEPI) na Universidade de Brasília (UnB) deve ser inaugurado ainda em agosto. A expectativa é que a unidade receba cerca de 100 crianças na creche que é voltada para abranger o público de zero a cinco anos de idade. O local terá quatro salas de aula, centro de atividades lúdicas e é totalmente adaptado.

O centro fica próximo ao núcleo de pesquisas da primeira infância, que é voltado para estudantes e pesquisadores do tema. Ainda não há data prevista para a inauguração desse núcleo.

A deputada distrital Paula Belmonte (Cidadania) visitou as obras do Complexo da Primeira Infância nesta sexta-feira (17/5). Enquanto era deputada federal, Belmonte destinou recursos de emendas para o centro de educação.

“O centro de pesquisas é outra conquista que vai beneficiar tanto os estudantes e os profissionais da Primeira Infância quanto as nossas crianças. É um dinheiro que retorna à nossa sociedade com esse complexo”, disse a deputada.

Belmonte também destinou cerca de R$ 10 milhões para a ampliação da Unidade da Criança e do Adolescente (UCA) dentro do Hospital Universitário de Brasília (HUB). O centro hospitalar foi entregue reformado em maio de 2023 e agora conta com 80 consultórios e 20 leitos de UTI, sendo dez deles especializados em atender bebês prematuros.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

“É um projeto audacioso, mas que permite o atendimento a crianças e o estudo de profissionais analisando os casos. Toda essa bagagem será usada na carreira desses profissionais que vão ter um olhar específico para a primeira infância”, completou.

Continuar Lendo

Brasil

PF identifica responsável pelo vazamento da prova do Enem 2023

Publicado

no

Por

Polícia Federal concluiu investigação sobre vazamento da prova do Enem 2023 e apontou servidora pública do Pará como responsável pelo crime

Polícia Federal (PF) anunciou, na noite desta sexta-feira (17/5), ter concluído as investigações sobre o vazamento da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2023.

Em nota, a PF afirmou que uma servidora pública responsável por aplicar o exame na cidade de Belém, no Pará, fotografou folha de redação às 13h50, 20 minutos após o início da prova.

A mulher, que não teve o nome divulgado, encaminhou a foto contendo informações sobre o tema da redação daquele ano para uma amiga, que é professora, e contribuiu para que a fotografia circulasse nas redes sociais.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

A servidora foi indiciada por compartilhar, de forma ilegal, conteúdo sigiloso de processo seletivo. Ela pode pegar uma pena de até 4 anos de prisão, além de pagamento de multa.

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.


Fato Novo com informações e imagens: Metrópoles

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90
Continuar Lendo

Mais vistas