Ligue-se a nós

Congresso Nacional

DATASENADO: 73% dos brasileiros apoiam semana de trabalho de quatro dias

Publicado

no

Pesquisa feita pelo Instituto DataSenado sobre jornada de trabalho e qualidade de vida mostra que 73% dos brasileiros acreditam que o governo deveria oferecer incentivos às empresas que adotassem a semana de trabalho de quatro dias

Para 54% da população, uma carga horária menor iria melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores por afetar positivamente a saúde mental das pessoas. Já 34% avaliam que não faria diferença enquanto que 9% acreditam que a situação pioraria. Os demais não souberam ou preferiram não responder.

Entre aqueles que acreditam que a redução da jornada de trabalho pioraria a qualidade de vida dos trabalhadores, a maior preocupação é com a possível diminuição da renda.

Porém, quando perguntados especificamente sobre a redução do expediente de cinco para quatro dias, sem redução de salário, cerca de metade dos brasileiros (51% ) acredita que tal iniciativa seria benéfica.

Se, por um lado, há confiança da população de que a redução da jornada traria uma melhoria na qualidade de vida do trabalhador, as opiniões se dividem no quesito produtividade. Para 35%, a produtividade aumentaria, enquanto que para 21% diminuiria e para 40% dos brasileiros a redução de jornada não faria diferença na produtividade do trabalhador.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90
Continuar Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Congresso Nacional

Comissão de Educação do Senado aprova Novo Ensino Médio

Publicado

no

Por

Após idas e vindas, a proposta que será encaminhada com urgência para o plenário. Votação pode ocorrer ainda nesta quarta-feira (19)

A Comissão de Educação e Cultura do Senado aprovou nesta quarta-feira (19) o projeto de lei 5.230  que estabelece uma reestruturação do ensino médio brasileiro. A votação foi simbólica, quando não há registro individual de votos. Agora, o projeto segue para análise do plenário do Senado.

Após acordo com o Ministério da Educação, a relatora do projeto Professora Dorinha Seabra (União-TO), retomou as 2.400 horas da Formação Geral Básica , conforme havia sido aprovado pela Câmara dos Deputados, em março deste ano. O texto  também estabeleceu que haja um aumento de carga horária para os alunos que optarem pelo ensino tradicional e o técnico simultaneamente de 3 mil para até 3,6 mil horas, a depender do curso, a partir de 2029.

Outra mudança aprovada é a obrigatoriedade do ensino de espanhol e a oferta de curso regular noturno em todas as cidades, para alunos que precisem trabalhar. O projeto tem como objetivo revogar o novo ensino médio que foi aprovado em 2017, sem apoio do Ministério da Educação. Além do relatório favorável à proposta, também foi aprovado um requerimento de urgência para que o texto tramite com mais rapidez para análise do plenário.

O objetivo do governo atual é que a proposta seja aprovada antes do recesso parlamentar do meio do ano, que inicia em 18 de julho. A nova legislação também é uma prioridade para a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), de acordo com o novo presidente, Hugo Silva, as mudanças aprovadas em 2017 são uma afronta ao ensino público. “O atual ensino médio  é um  modelo desigual que não chega da mesma maneira para todo mundo e faz com que muitos estudantes de escola pública percam perspectivas ”, afirma.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.


Fato Novo com informações e imagens: Correio Braziliense

Continuar Lendo

Brasil

Comissão do Senado aprova projeto que legaliza jogos de azar no Brasil

Publicado

no

Por

Projeto autoriza a instalação de cassinos em cada um dos estados brasileiros e no Distrito Federal. Agora, o texto segue para votação em Plenário

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, nesta quarta-feira (19/6), o Projeto de Lei (PL) 2234/2022, que dispõe sobre a exploração de jogos e apostas em todo o território nacional. O relatório do senador Irajá (PSD-TO), favorável à matéria, foi aprovado por 14 votos a favor e 12 contrários e, agora, segue para deliberação do Plenário da Casa Alta.

O projeto autoriza o funcionamento de cassinos e bingos, legaliza o jogo do bicho e permite apostas em corridas de cavalos. Além disso, o PL autoriza a instalação de cassinos em polos turísticos ou em complexos integrados de lazer, como hotéis de alto padrão com pelo menos 100 quartos, restaurantes, bares e locais para reuniões e eventos culturais.

De acordo com o texto, cada estado brasileiro e o Distrito Federal poderá ter um cassino, com exceção de São Paulo, que receberá permissão para instalar até três, e Minas Gerais, Rio de Janeiro, Amazonas e Pará, que poderão ter até dois.


“Esse é um projeto muito importante para o Brasil, porque vai transformar o turismo. Infelizmente o Brasil não está bem posicionado mundialmente como um dos roteiros internacionais do turismo e essa é uma grande oportunidade de nós criarmos aqui os complexos turísticos, como os resorts integrados, que são modelos de sucesso em todo o mundo e que países concorrentes do Brasil já adotaram há décadas”, defendeu Irajá.


O relator da proposta ainda argumentou que a regulamentação, além de incentivar e aprimorar o turismo, vai gerar receita para o Brasil. “É uma oportunidade do Brasil gerar emprego, gerar renda e, acima de tudo, gerar impostos nesses jogos que estão presentes na vida dos brasileiros e que, infelizmente, não estão trazendo nenhum tipo de benefício à nossa população”, completou.

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Ainda não há previsão de quando o projeto será incluído na pauta do Plenário, a definição ficará a cargo do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). “Aprovado na CCJ, agora depende do presidente Pacheco definir o melhor momento para que esse projeto possa ser pautado no Plenário. Ainda não há uma data definida, mas esperamos que a gente possa fazê-lo antes do recesso parlamentar em julho”, disse o relator.

Opinião contra a legalização

O placar acirrado mostra que a matéria encontra resistência na Casa, o que pode comprometer a aprovação em Plenário. O senado Eduardo Girão (Novo-CE), destacou que diversos senadores contrários ao projeto não compareceram à CCJ e isso contribuiu para a aprovação do projeto. “Foi por um voto. Isso mostra que, mesmo com o poderio que existe da indústria do jogo atuando fortemente para se liberar, por um voto, porque se um dos votos que votou sim tivesse votado não, teria empatado e a situação seria diferente”, afirmou.

“Espero que o plenário do Senado Federal tenha responsabilidade para rejeitar, porque isso não trata de direita e esquerda. Esses estabelecimentos não geram receita, isso foi demonstrado com números hoje, não geram emprego, vai existir a canibalização do comércio (…) Outro problema grave que foi evidenciado é a cooptação pelo crime organizado dos bingos e cassinos, então tem problema de lavagem de dinheiro, corrupção, destruição de vidas e famílias, o índice de suicídio. O Brasil já tem problemas demais, então a gente espera que os senadores, de uma forma serena, deliberem para rejeitar esse projeto que vai trazer vício, destruição, endividamento do povo brasileiro”, completou Girão.

Siga nossas redes sociais: Facebook Instagram.


Fato Novo com informações e imagens: Correio Braziliense

Anúncio
Alle Rede Ads 728x90

Continuar Lendo

Congresso Nacional

Bets: governo não tem previsão de arrecadação com autorizações em 2024

Publicado

no

Por

Neste ano de 2024, serão pagas as outorgas para os pedidos aprovados. Governo Lula informa ainda não ser possível fazer qualquer previsão

governo Lula (PT) ainda não tem uma previsão oficial de quanto poderá arrecadar com as autorizações para empresas que queiram explorar as apostas de quota fixa (as chamadas bets) em 2024, segundo apurou o Metrópoles. Após a regulamentação do mercado, no fim do ano passado, essa era uma fonte de arrecadação extra prevista para este ano pelos Ministérios da Fazenda e do Planejamento e Orçamento.

Continuar Lendo

Mais vistas